Euroogle
GEPSD PCS IFSC
TE PCS IFSC
Definição encontrada no Novo Dicionário de Termos Europeus
Antiga República Jugoslava da Macedónia (FYROM) > FYROM

FYROM é a sigla de "The former Yugoslav Republic of Macedonia” (antiga República Jugoslava da Macedónia).

 

Quando a Jugoslávia se dissolveu, em 2003, surgiram novos Estados como a Sérvia, a Croácia, o Montenegro, o Kosovo, a Bósnia-Herzegovina, a Eslovénia e a Macedónia.  A região da Macedónia autonomizou-se, declarou a independência e aprovou uma Constituição em que adopta a designação de "República da Macedónia”. Esta designação criou várias tensões e não foi aceite pela generalidade da Comunidade Internacional.

 

As tensões prendem-se com razões de natureza geográfica e cultural.

 

Geograficamente há zonas que se poderiam considerar parte da Macedónia na Grécia, na Bulgária, na Albânia e na Sérvia. Receia-se assim que a atribuição da designação de República da Macedónia possa inspirar pretensões de alargamento territorial em nome de uma Grande Macedónia que constitua factor de instabilidade e conflito.

 

Culturalmente os gregos consideram que a verdadeira Macedónia é a que integra o seu território e não a representada pela FYROM. A região Macedónia da Grécia (terra de Alexandre Magno) corresponde ao essencial do antigo Reino da Macedónia e os seus habitantes eram de origem "grega” e não eslavos como a maioria do FYROM.

 

Após a conquista da Grécia pelos romanos (séc II DC) estes estabeleceram uma região administrativa a que chamaram Macedonia Prima (Primeira Macedónia, o que corresponde ao inicial Reino da Macedónia, hoje território grego) e Macedonia Secunda (Segunda Macedónia, sensivelmente parte do território que hoje corresponde à FYROM). Durante muitos séculos esta divisão manteve-se.

 

Assim, a Grécia não quer ver o nome de Macedónia na designação do novo Estado, e este não quer ficar com uma referência à Jugoslávia alegando receio de reivindicações de território por parte da Sérvia.

 

Enquanto  uma solução não é encontrada, no seio da ONU fixou-se como solução provisória designar este Estado como FYROM (antiga República Jugoslava da Macedónia). E mesmo a simples sigla não é alheia à controvérsia. Quando se decidia onde se devia sentar a nova Delegação na sala da Assembleia Geral da ONU, os gregos opuseram-se que fosse no M (por não querem aceitar a Macedónia) e da parte da FYROM recusavam-se sentar no F (por não quererem sublinhar a sua antiga pertença à Jugoslávia). Acabaram por se sentar no T ao lado da Tailândia ("Thailand”), seguindo a nomenclatura de"The” former Yugoslav Republic of Macedonia.

 

Embora diversos Estados considerem a polémica ridícula e encorajem os Estados envolvidos a encontrarem um compromisso a verdade é que a situação tem-se arrastado sem sucesso e tem criado dificuldades para a adesão da FYROM à NATO e à União Europeia. Ultimamente, dirigentes gregos têm manifestado alguma abertura para aceitar a designação Macedónia desde que adjectivada para não permitir nenhuma ambição territorial sobre os seus vizinhos. República do Norte da Macedónia ou República do Alto da Macedónia ou a inclusão do rio VADAR na designação (o maior rio da FYROM) são algumas das soluções em estudo.

(última alteração: Maio de 2017)
Se quiser melhorar este dicionário: